Assange conquista direito de recorrer contra extradição aos EUA

Assange conquista direito de recorrer contra extradição aos EUA

Assange conquista direito de recorrer contra extradição para os EUA, concedida por Justiça Britânica, que autoriza uma nova chance de apelação.

Risco de Isolamento Perpétuo nos EUA

Julian Assange, fundador do WikiLeaks, alega que seu processo faz parte de um esforço ocidental para puni-lo pela publicação de documentos confidenciais que expõem supostos crimes de guerra cometidos pelos EUA e seus aliados. Ele teme ser mantido em isolamento perpétuo se for enviado para os Estados Unidos.

Batalha Legal Intensa

Assange está preso no Reino Unido desde 2019, quando o Equador revogou seu asilo político e permitiu sua prisão. Advogados americanos travaram uma batalha judicial contra ele nos tribunais britânicos, conseguindo a autorização de Londres para extraditá-lo em 2022.

Novas Garantias Não Convenceram

Em março, a Justiça Britânica reconheceu que os direitos de Assange poderiam ser violados nos EUA. Os Estados Unidos ofereceram novas garantias, mas a defesa de Assange considerou-as “evidentemente inadequadas”.

Direito de recorrer e contestar a extradição

Agora, dois juízes superiores decidiram que as alegações americanas não são suficientes e concederam a Assange outra oportunidade de contestar as reivindicações de Washington através do sistema judicial britânico.

Deixe uma resposta